domingo, 28 de fevereiro de 2010

SECOND LIFE VIEW 2 BETA- Navegação na Internet

SECOND LIFE VIEW 2 BETA Navegação na Internet Buenas galera do Blog! Estou de volta, aproveitando a matéria recente de Pedrovsky Martynon sobre media e as diferentes aplicações que já estão disponíveis na versão Beta que foi escrito por Wagner James Au no blog New World Notes ,vamos tratar agora de interatividade e navegação. Como notamos, novos recursos estão disponíveis, e entre elas, a que achei de grande utilidade, é a navegação em sites, além dos recursos tratados na matéria anterior, dentro do Second Life. Vejo que será uma excelente ferramenta, nela poderemos visitar o site oficial de uma loja ou estabelecimento e conhecer os produtos antes mesmo de caminhar por todos os lados, fazer pesquisa no site do XtreetSL, pegar o endereço e imediatamente teleportar ao local indicado sem ter que ficar alternando entre browser de internet e Second Life, podemos assistir videos de mais diversos gêneros em qualquer site escolhido, transmitir o sinal de uma Webcam, de uma câmera de externa, enfim, as oportunidade são infinitas, basta a imaginação do usuário. Vamos então seguir com nossos "cursos rápidos" e ver agora um video-tutorial feito por Torley Linden em que nos mostra como o processo funciona, como podemos produzir nossos próprios objetos e exibir os sites de nossa escolha:

A Imponência do Second Life 2.0: Fluxo Ao-vivo do Vídeo da Webcam de Sua Cabeça Real em Seu Avatar do Second Life!*

Uma postagem no mínimo bastante curiosa sobre uma das infinitas possibilidades de uso do novo Second Life Viewer 2.0!
_______________________________________________________
*Tradução da postagem original de Wagner James Au no blog New World Notes, datada de 26 de Fevereiro de 2010.
O novo visualizador do Second Life vem com uma função de mídia compartilhada que lhe permite inserir conteúdos interativos da Internet em objetos do SL. As possibilidades, é claro, são ilimitadas. Você pode, por exemplo, colocar um site com um programa que simula um quadro em branco, e desenhar colaborativamente sobre ele. Isso é uma coisa bem ninja.

Mais ninja ainda é esse golpe de Giulio Prisco:
Colocar o fluxo de sua webcam ao vivo em
uma primitiva, e colocar essa primitiva na cabeça de seu avatar. Agora você possui um vídeo ao vivo de suas reações faciais conforme você interage no Second Life, transmitida pelo Second Life, onde sua cabeça virtual deveria estar. Você pode pensar em uma aplicação da função de mídia compartilhada mais ninja do que essa? (Dica: Jeanricard Broek.)
Wagner James Au Tradução: Pedrovsky Martynov / Pedro Mancini

sábado, 27 de fevereiro de 2010

SECOND LIFE VIEW 2 BETA

SECOND LIFE VIEW 2 BETA Mensagens e Notificações
Olá galerinha que fica ligado aqui no Blog! Como devem ter notado nas excelentes matérias publicadas aqui no blog por nossos correspondentes internacionais GavezDois Decosta e Pedrovsky Martynov, estamos numa nova fase do Second Life, um marco histórico importantíssimo para LindenLab onde ela afirma e mostra que está entrando de cabeça também na nova geração da internet, a Web 2.0. Estamos presenciando a divulgação do novo View da LindenLab, o Second Life View 2 Beta que trás muitas funcionalidades que eram muito necessárias no dia-a-dia dos residentes. Depois de muitos pedidos, muitos retornos de usuários, com críticas e sugestões, foi lançado recentemente a nova SL, com roupinha nova, muito mais arrojada, dinâmica, que lembra e muito os recursos que possuimos na internet e nos nossos navegadores de internet. - Mas porque a versão Beta? A versão beta é, como podemos dizer, um aperitivo do que irá chegar muito em breve em nossas mãos. Essa versão é muito necessária, porque só assim podemos usar e apontar os erros que possam aparecer no andar dos dias. Eu, particularmente utilizo com muita frequência a versão Beta afim de poder também auxiliar e ajudar a construir um simulador ainda melhor e essa maneira de pensar está espalhada pelo mundo todo. São essas pessoas que mantém o programa sempre atualizado, que reportam os erros, as melhorias, as opções que não agradam, enfim, são usuários que mostram o retorno que a LindenLab necessita para proporcionar aos residentes, uma visão extraordinária do mundo virtual. Nossos blogueiros estão tratando com detalhes, descobrindo e explorando novas funcionalidade e trazendo as dicas bem quentinhas aqui no nosso blog. Confesso que fiquei meio perdido quando acessei o novo View 2 Beta pela primeira vez, mas com um pouco de paciência, acabei descobrindo e com o passar do tempo acabei concordando que a melhora foi bem importante. Vamos começar aqui uma série de videos-tutoriais de como executar funções simples e alguns até complexas, fazendo um comparativo entre as duas versões e apontando os pontos que foram melhorados. Abaixo deixo um video de autoria de Torley Linden ,que entre outras funções na LindenLab, produz tutoriais para ajudar aos residentes a descobrirem o que o Second Life pode oferecer. O idioma está em inglês, mas para quem está acostumado com as ferramentas do Second Life, mesmo sem entender a tradução, terá uma excelente aula. Bom proveito! Ficou interessado na versão beta? Então baixe logo! Clique no link abaixo e bom proveito! Não é necessário desinstalar a versão antiga pra usufruir da versão beta, os dois sistemas podem estar no mesmo computador e compartilharão as mesmas informações.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

LindenBR TV - Mile Cyrus na Central LindenBR

LindenBR TV - Mile Cyrus - Party in the USA (Hight Quality)



Vamo que Vamo

Porque no Second Life não há espelhos

Artis Natur

Artis Natur


Aproveite o seu final de semana para relaxar, curtindo a natureza nessa ilha maravilhosa.



Aqui você vai encontrar as mais belas árvores e flores, caminhos e cascatas, entre no clima, é possível sentir a brisa passando por você.



Explore a ilha utilizando o teletransporte no mapa. A floresta encantanda e a cachoeira são magníficas.

Há bolinhas escondidinhas em locais estratégicos para namorar e para tirar fotos lindas.

Ótimo final de semana !!!



Acesse:

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Second Life Beta Viewer e as Casas Linden: Busca pela retorno do Sl aos holofotes

Como Edgard Costa já disse em uma postagem recente, a Linden Labs acaba de lançar a versão Beta do Second Life Viewer 2.0, que possui um layout familiar, baseado nos navegadores da Web. De fato, concordo que esse novo visualizador traz um grande progresso à interatividade e à toda a experiência dos usuários de SL; contudo, o que venho a tratar na presente postagem, é sobre onde essa iniciativa da Linden se encaixa em uma estratégia mais ampla por uma re-popularização do Second Life. Discuto, também, sobre as possibilidades de sucesso dessa estratégia.
Passado o furor midiático e a explosão de usuários e de grandes empresas no Metaverso, Second Life entrou em um período interpretado, por alguns, como de declínio: empresas que haviam investido centenas de milhares de dólares abandonaram a iniciativa, e aos poucos o SL deixou de ser notícia nos principais veículos de comunicação. Embora muitos analistas constatem que o número de usuários continua a subir, bem como as movimentações financeiras entre o SL e a RL, é inegável que Second Life deixou de ser considerado um grande marco nas relações virtuais, ao menos pelas principais redes de notícia.
O que vemos, hoje, é uma tentativa da Linden Labs de reverter essa situação, re-posicionando o Second Life no quadro de ambientes mais populares e atraentes da Internet, e buscando, igualmente, um novo "boom" de usuários. Para tanto, investiu no oferecimento de casas para os pacotes de conta Premium, comprou a Avatars United, desenvolveu o Viewer 2.0 e pretende, ainda, integrar o SL ao Facebook.
Para o jornalista Wagner James Au, contudo, essas medidas, por si, não serão suficientes para criar um novo "boom". Poderão atingir, é verdade, tanto os usuários regulares do SL, em especial aqueles sem grandes conhecimentos sobre criação e manipulação de prims, como usuários ocasionais, aqueles que criaram contas e pararam de freqüentar o Metaverso, ou o visitam com uma baixa regularidade. Não trazem, porém, incentivos o suficiente para seduzir aqueles usuários potenciais que nunca experimentaram o Second Life, nem tampouco possibilitar um retorno EM MASSA daqueles que o abandonaram. As novas medidas atrairiam novamente apenas uma parcela daqueles que perderam a motivação de navegar por alguma razão.
Segundo James Au, Second Life, para atrair uma grande massa de novos usuários, deve responder às seguintes questões:
*Quem irei encontrar por lá?
*O que irei fazer quando chegar lá?
*Quando as coisas ocorrem por lá?
*Para onde deverei ir para fazer essas coisas?
*Como eu chego lá? E...
*Por que eu deveria permanecer, depois de fazer essas coisas?
A compra da Avatars United e a integração entre o SL e o Facebook poderão ajudar a responder a primeira questão, "quem irei encontrar lá". Todas as outras questões, porém, não encontram resposta, nem com o Viewer 2.0: para encontrar um evento ou uma localidade, "(...)deve-se inserir palavras-chave em um sistema de busca, então achar a barra de eventos na janela que se abrir, e... bem, torcer pelo melhor". Além dessa dificuldade permanecer no SL 2.0, outras agravaram-se: o mapa global dinâmico passou a ser acessado com dois cliques, e não mais apenas um, e o "Guia de Destinos" passou a ficar a três cliques de distância. Para completar, mesmo que um usuário iniciante consiga encontrar uma lista de lindos locais pelo Guia - regiões belíssimas como as apontadas nesse blog por Penelope Orellana - os mais belos deles muitas vezes contam com pouquíssima movimentação de pessoas (o que é considerado o grande paradoxo do Second Life).
Enfim, o que Au quis dizer com sua postagem é que, embora o novo Viewer do Second Life represente um progresso inquestionável no sistema de navegação do mesmo, ele ainda não é capaz, ao menos em sua versão Beta, de estimular um novo "boom" de usuários, o que parece ser, em última análise, um dos objetivos da Linden. Vamos esperar por novas alterações nessa versão, bem como por medidas técnicas e de marketing mais ousadas da empresa de Rosedale, para elevar o Metaverso a um novo patamar de usuários e sucesso. Potencial é que não falta.

Rancho Azul

Rancho Azul


Olá Amigos, sejam todos bem-vindos ao Rancho Azul !



Se você não conhece ainda não perca mais tempo... Venha para cá imediatamente aproveitar mais essa ilha que é sucesso absoluto no metaverso.

Em uma enorme arena no centro da ilha, você vai se divertir e curtir festas animadíssimas, no meio de um pessoal super simpático, num clima acolhedor.



E se o nome ou a arena te lembram festa ou música sertaneja, você se engana: no rancho azul os estilos se misturam e o resultado é a ilha sempre cheia.



Quando você se cansar de dançar, dê uma chegadinha na praia, namore bastante na beira da água, passeie pelas lojas, e mais do que tudo: faça amigos e se divirta.

Vem dançar comigo por aqui ?? Eu estou te esperando !


Acesse:


Para descontrair...

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Temple of Zeus

Temple of Zeus


De acordo com a mitologia grega, Zeus (Ζεύς ) foi o soberano do Monte Olimpo, deus do céu e do trovão, o rei de todos os deuses.


O Templo de Zeus atualmente é uma ruína que está localizada no centro de Atenas, na Grecia. Foi um dos maiores e mais famosos templos gregos.



Aqui no metaverso, você também poderá ter a oportunidade de conhecer esse monumento e prestar suas homenagens a esse ser mitológico tão poderoso. Quem sabe ele não nos dá uma ajudazinha na nossa correria do dia-a-dia ?




Acesse:

Second Life 2.0 Viewer (Beta)

Olá. Ainda em versão beta, o Viewer 2.0 trás algumas boas novidades e se apresenta de forma bastante diferente do que o cliente anterior. Num vídeo de apresentação do produto, dizem que o objetivo maior foi o de aumentar a qualidade e facilidade de navegação no SL e, ao que me parece, isso fizeram aumentando a analogia entre o viewer e um web browser. De certa forma eu sempre vi a SL como uma analogia à Internet. Só que enquanto a Internet é navegada através de páginas 2D, que são conhecidos por “sites” em inglês e apropriadamente traduzido para “sítios” em português de Portugal (o que é o mesmo que dizer “lugar” no Brasil) na Second Live navega-se em lugares mesmo. Em ambientes 3D onde há visualização e interação com os objetos em 3D. Visto assim, e para uma empresa, a presença na SL é evidentemente tão importante quando a presença na Internet, dentro das devidas proporções de público, é evidente. E nesta versão 2.0 estes conceitos estão mais fortemente ligados. Navega-se realmente na SL como se navega na Internet. Primeira coisa que se nota é que sumiram aqueles menus de pizza. A interface com o utilizador agora divide-se em quatro principais áreas: a área de visualização 3D propriamente dita, a barra do topo (Top Bar), a barra lateral (Side Bar) e a barra da base (Bottom Bar). Vejamos as principais características de cada uma delas: Na barra do topo há uma evidente analogia com um web browser normal, com os botões para se “navegar” na SL com a possibilidade de se voltar e avançar em relação aos lugares para onde se teleportou. Da mesma forma como num browser você navega nas páginas para trás e para frente, na SL você navega pelos lugares por onde passou. É claro que há um botão de com o símbolo de uma casa (home) que te envia para o local que tem designado como casa. E há ainda, o que achei excelente, uma barra de preferências, para onde é possível arrastar os lugares de sua preferência para poder se teleportar para lá com maior facilidade, como nos browsers. É possível copiar a SLUR a partir da linha de navegação e há uma estrela no fundo desta linha para se fazer um “Landmark” deste lugar, como se faz um marcadores (bookmarks) nos browsers. Enfim, muito familiar. A barra lateral, que a meu ver é a maior novidade, substitui muitas das janelas que se abriam separadamente dentro do cliente. É uma barra que pode estar aberta ou fechada, uma vez que ocupa boa parte da área de visualização quando está aberta e tem uma série de botões que correspondem aos diversos conteúdos que a barra pode conter. Há um botão com o simbolo da casa, mas aqui com outra função. Este botão mostra-nos algumas opções de navegação tanto interna ao cliente, como lugares para visitar, quanto externas, na Internet, como a página da nossa conta no site da LL. Tem ali ainda um botão para o nosso perfil e para um guia rápido de utilização do cliente, que te remete para uma página wiki do site da SL. Há uma novidade nesta barra que é um botão para modificarmos a nossa aparência. Continua a haver a possibilidade de editarmos a aparência como sempre fizemos, mas agora, com este botão, são apresentadas pastas com outfits completos de forma a se podermos modificar toda a nossa aparência simplesmente carregando uma destas pastas sobre o nosso corpo ou clicando com o botão direito do mouse sobre a pasta e escolhendo a opção para mudar a aparência atual. Aqui também existe uma subdivisão para mostrar-nos o que temos vestidos neste momento. Há, ainda, um botão na barra lateral para irmos diretamente a pasta de LMs de nosso inventário com uma útil subdivisão de histórico de nossos teleportes, bem como outro botão para irmos diretamente para a árvore de pastas de todo o inventário, onde foram acrescentadas algumas pastas novas. O outro botão desta barra é o de pessoas, onde são mostrados para além de nossos amigos e grupos, os avatares que estão próximos de nós e aqueles que passaram recentemente. A barra da base é a central de comunicações, com todas as ferramentas necessárias para comunicarmo-nos dentro da SL, de uma forma simples e rápida. Uma diferença notável são as notificações, aquelas janelas azuis que apareciam por vezes no canto superior direito da janela de visualização, que agora aparecem em pequenas janelas no canto inferior direito, como são as notificações de comunicação feitos pelo MSN ou pelo Skype, além de outras novidades como a lista de integrantes de um grupo quando mantemos conversações dentro destes. Mas a principal característica é a inclusão daquilo a que eles chamam de shared media. Trata-se da possibilidade de se configurar como textura de uma primitiva qualquer site na Internet, o que já era possível fazer com a media normal, só que agora com interatividade. Significa dizer que pode-se ter uma página na Internet associada a uma primitiva e ter interatividade com a página, navegando na Internet de dentro da SL. Pode-se inclusive ver vídeos do YouTube e executar aplicações Flash. Achei lento, mas interessante. Pode ser visto um exemplo aqui: http://www.youtube.com/watch?v=Wv20U7rJuwU De forma geral achei tudo muito similar ao que temos utilizado normalmente em diversas aplicações corrente de navegação na Internet. Achei a experiência de navegação com a nova versão do viewer bastante positiva e agradável. Até agora só não consegui encontrar onde está o lugar para enviar conteúdo, imagens e animações, de nosso disco para dentro da SL, que era logo a primeira opção do menu da versão anterior. Eles estão incentivando as pessoas a fazer download desta nova versão, que pode ser encontrado o link aqui, experimentá-la e enviar para eles o seu testemunho desta utilização. Há no botão home da barra lateral um link para uma página de um “survey” sobre a nossa experiência com o programa. Gostei. Vou utilizar um pouco mais e depois mando pra eles a minha opinião. Divirtam-se.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Trabalho e dinheiro

Olá. Encontrar novos aventureiros na SL é sempre uma experiência rica. Primeiramente porque compreendo que uma das melhores formas de se aprender alguma coisa é pensando o que seria necessário dizer para que se consiga ensinar esta coisa a alguém. Ou seja, o simples fato de pensar e se preparar para ensinar a alguém já é, por si só, uma experiência de aprendizagem. Desta forma, sempre que me encontro com um noob, e este me pede ajuda, tento ajudá-lo, dentro da medida do meu conhecimento é claro. E isto já aconteceu diversas vezes. Na última vez, que aconteceu no passado final de semana, ouvi pela “sei-lá-quantésima-vez” o sujeito perguntar como conseguia um emprego no jogo, para poder ganhar algum dinheiro. Duas coisas me vieram a cabeça: 1. a noção de que aquilo é um jogo. Será? Acho que não; 2. Em vendo aquilo como um jogo, pensa-se imediatamente na conquista de objetivos e o primeiro que se identifica é o de conseguir dinheiro, para se poder fazer as coisas lá dentro, para se poder melhorar a imagem, etc. O mais interessante disso é que as pessoas, presumivelmente adultos, esquecem-se do que tem que fazer na RL para atingir aos mesmos objetivos. No que diz respeito a ganhar dinheiro na SL, através de um trabalho qualquer, o que se pode esperar é exatamente aquilo que podemos esperar na RL: seremos capazes de ganhar um valor equivalente a qualidade, quantidade e raridade do produto de nosso trabalho. E aqui prevalece uma lei econômica básica, a da oferta e procura. Somos enquanto pessoas, tanto na RL quanto na SL, um produto num mercado. O mercado é o de trabalho. O produto é a nossa arte. Somos remunerados pelo que sabemos fazer de bom e útil para os outros. Ganhamos tanto mais quanto maior for a utilidade e o desejo de (e para) outros daquilo o que fazemos. E para fazermos mais, melhor e apropriadamente, temos que nos preparar, estudar e trabalhar, muito. O conjunto básico de conhecimentos que temos ou podemos adquirir numa abordagem ligeira, é insuficiente. É preciso estudar sempre. Conhecer o mais profundamente possível aquilo o que nos dispusermos a fazer para podermos obter sucesso. Um dos aspectos que melhor exemplifica isto que estou a tentar dizer é relativo com a língua. O maior mercado de trabalho na SL é quase que exclusivamente falado em língua inglesa. As boas oportunidades de trabalho que existem exigem que saibamos o inglês, com alguma proficiência . Mesmo as empresas portuguesas e brasileiras que vejo a operar com sucesso na SL, tem que atender as pessoas em inglês pois o tamanho do mercado em língua portuguesa ainda é muito pequeno para gerar grandes oportunidades de negócios. Resumindo: Como conseguir um bom trabalho na SL para se conseguir ganhar algum dinheiro, pelo menos aquele que chega para pagar as nossas reais despesas virtuais? Só há uma resposta: preparando-se para desempenhar eficientemente as tarefas que são requisitadas no mercado SL. Quais são estas tarefas e quais são os conhecimentos necessários de serem adquiridos? Isto já é assunto para próximos artigos. Para já posso adiantar que estou a ler com atenção o livro “The entrepreneur's guide to second life” (O guia do empreendedor para o Second Life) e neste são destacadas algumas indústrias que geram lucros lá dentro e quais são os conhecimento e habilidades necessárias para se obter sucesso em cada uma delas. Para algumas apontam inclusive a hipótese daquilo se transformar num trabalho a tempo inteiro, com ganhos suficientes não só para as despesas da SL como as da RL. Posso garantir que isto é muito difícil, mas há quem consiga. Os mercados que eles apontam como passíveis de se obter sucesso à sério, são as seguintes: mercado da moda e vestuário, mercado imobiliário, mercado da construção e aquilo a que eles chamam de “The Adult Industry” (industria adulta, ou para adultos). Relacionam ainda profissionais que podem operar de forma transversal a todas estas indústrias, como os programadores (scripters) ou os artistas gráficos. Nos próximos artigos falarei de cada uma destas oportunidades de negócios. Divirtam-se (Ok. Ok! O nosso objetivo aqui é se divertir. Mas ainda não conheço uma forma de se divertir para a qual não tenhamos de gastar algum dinheiro. Então, vamos ganhá-lo!)

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Mayday

Mayday
Bermuda Triangle Roleplay


Bom dia amigos !

Estou perdida... Já mandei mensagem pedindo socorro, mas ninguém me ajuda... Ninguém me encontra... Pois é... Aqui estou eu, visitando essa ilha de RPG, recriação do famoso Triângulo das Bermudas, onde muitas embarcações simplesmente desapareceram sem deixar qualquer rastro ou sinal.



Você vai aterrisar na ilha dentro de um navio abandonado... no compartimento de cargas... siga as setas até chegar a um elevador, que ira lhe transportar para a ilha... Antes de desembarcar, visite os escombros do navio... aproveite para jogar uma partida de Black Jack... ;-)



Na ilha te esperam muitas surpresas... Uma série de bangalôs servirão para te abrigar se você não conseguir sair da ilha... Aproveite para pensar em fazer aquele curso de sobrevivência... a gente nunca sabe quando vai precisar !

Uma ótima semana para todos !



Acesse:
Mayday

sábado, 20 de fevereiro de 2010

A Regra de Lanna: Quanto Menos Você Revela Sobre Seu Eu Real no Second Life, Menos Propício Você Está para *Ficar* no Second Life*

Ontem encontrei mais uma excelente postagem de James Au, que trata de um assunto que me interessa demais: a relação entre identidades reais e virtuais. Achei muito interessante a idéia de a continuidade da vida dos avatares, no SL, estar atrelada à dissolução da distância entre o mundo real e o virtual. A partir do momento em que as identidades virtuais forem vistas como MAIS UM ASPECTO da identidade TOTAL do indivíduo (que deve se adaptar a inúmeros ambientes sociais, com seus variados papéis específicos), e não uma OUTRA identidade, menos o uso do Second Life, em minha humilde opinião, se perderá em uma compulsão fantasiosa, mergulhada em um mundo de sensações artificiais, isoladas dos sentidos da vida ordinária; pelo contrário, o Second Life tem potencial para ser uma excelente ferramenta de interação social entre indivíduos reais, capazes de superar seus limites físicos e sociais sem se perderem em um universo de ilusões que pode simplesmente perder a graça em pouco tempo.
Segue, a seguir, a tradução de mais essa postagem de James Au, um convite à reflexão.
*Tradução da postagem original de Wagner James Au no blog New World Notes, datada de 19 de Fevereiro de 2010.
Charlanna Beresford Second Life
conheceu:
"O tempo de vida de um avatar é inversamente proporcional à distância mantida com relação à sua primeira vida". Ou, em outras palavras, quanto mais a pessoa deve trabalhar para manter suas primeira e segunda vidas separadas, mais curta é sua segunda vida. Mas isso não se aplica simplesmente à manutenção de sua primeira vida como secreta para a segunda vida, mas também se aplica a pessoas que escondem sua segunda vida de sua primeira. Eu tendo a pensar que esse é, atualmente, o maior grupo. Essas são as pessoas que mantém toda sua experiência no Second Life em segredo, com relação a seus esposos ou parceiros.
Isso cria um sentido intuitivo e anedótico. Para Charlanna não se está falando apenas sobre nomes reais, mas detalhes biográficos reais, incidentes cotidianos reais, valores reais. Enquanto muitos residentes mantém sua primeira e segunda vidas quase inteiramente separadas, muitos deles ainda parecem revelar alguns aspectos de si mesmos. Comentando essa postagem, Botgirl Questi observa que "Todos aqueles que conhecia que agiam assim, pelo que consigo pensar, não estão mais no SL. O que prova o seu ponto, eu acho". (Depois de ter mantido em segredo por tanto tempo, mesmo a Botgirl revelou sua própria identidade da vida real.)
Wagner James Au Tradução: Pedrovsky Martynov / Pedro Mancini

A Reação contra o Second Life Finalmente Atinge o Setor Educacional*

E a discussão sobre Second Life e Educação continua. Seguindo um debate mais amplo sobre o declínio ou não do SL, a manutenção da importância ou abandono do Metaverso por educadores permanece uma questão em aberto, gerando muita polêmica. De um lado, a mídia parou, já há algum tempo, de tratar o SL como novidade, passando a descrevê-lo como um universo virtual em crise; de outro, temos os convictos defensores do Second Life, argumentando que tanto o número de usuários quanto as movimentações financeiras e atividades educionais continuam a progredir em meio à virtualidade.
Em uma das últimas jogadas dos defensores do Metaverso, em especial a respeito da importância educacional do mesmo, Wagner James Au critica duramente uma reportagem que aponta um abandono em massa de educadores do SL, que estariam buscando novas realidades virtuais para realizar suas atividades. A seguir, traduzo essa postagem de Au, contando, com isso, deixar os brasileiros um pouco mais a par sobre as calorosas discussões acerca da relação entre SL e a Educação.
__________________________________________
*Tradução da postagem original de Wagner James Au no blog New World Notes, datada de 18 de Fevereiro de 2010.
O influente Crônica da Educação Superior tem um artigo escrito que sugere que educadores estão deixando em massa o Second Life, mas a parte de Jeffrey Young, "Após Frustrações no Second Life, Colégios Procuram Novos Mundos Virtuais", contém poucas evidências para apoiar tal título. Realmente, no começo dessa semana, postei uma pesquisa feita pelo Consórcio Nova Mídia sugerindo que Second Life continua, esmagadoramente, a plataforma pedagógica mundial escolhida pelos educadores. Young também cita uma pesquisa (sem fontes) alegando que "apenas 4% dos adultos americanos passam parte de seu tempo em realidades virtuais", utilizando-a como razão para negar a validade, em geral, da educação em mundos virtuais. Mas mesmo que esse factóide acerte, ele omite o uso mais amplo do mundo virtual por menores de idade - vocês sabem, estudantes futuros que os educadores esperam ensinar. Na verdade, em outro estudo, 1 a cada 8 americanos entre 12 e 64 anos indicaram ser usuários regulares de mundos virtuais.
Então o artigo não é interessante, exceto, talvez, como um estudo de caso sobre construção de teses enganosas. (A lista de comentários, inundada com comentários de educadores do SL, é definitivamente digna de leitura.) Porém, ele representa uma reação significativa contra o uso educacional do Second Life (e mundos virtuais em geral), que é notável em si mesma. Pena que Young não sabe o suficiente para perguntar as questões verdadeiramente interessantes. Tais como:
- O quão mensuravelmente efetiva é a educação imersiva, com relação a outras abordagens? e - Que mundo virtual é ideal para cada situação de ensino?
(Nota do tradutor: como a postagem já ficou muito longa, não trabalhei com a íntegra do texto de Au. Quem quiser lê-lo inteiramente, consultar versão original em inglês.)
Wagner James Au Tradução: Pedrovsky Martynov / Pedro Mancini

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Vampiros e outros monstros...

Olá. Os vampiros estão mesmo na moda. Há vampiros por todos os lados. Nos filmes, nas séries de TV, na literatura, no congresso... E na Second Life, espelho real de nossa sociedade virtual, não poderia ser diferente. Mas antes de falar em vampiros deixe-me explicar a frase anterior. Não me enganei ao afirmar que a SL é o espelho real de nossa sociedade virtual. É isto mesmo que penso. Nós, para mantermos um conjunto de procedimentos e processos, aos quais chamamos de civilização, ou sociedade civil, temos que nos guiar por um conjunto de regras, muitas vezes restritivas, aos quais chamamos leis. Estas leis são artificiais, ou seja, não fazem parte de nosso conjunto padrão de comportamento natural, definidos pela natureza animal que carregamos em nossas células. O que nos faz seguir as leis é a nossa necessidade de viver em sociedade e, devido ao fato de que temos uma identidade para zelar, aceitamos estes artifícios civilizacionais para mantermos um nível aceitável de regularidade em nossas vidas. Porém, na SL, a identidade é efémera. Você pode ser você mesmo ou uma outra pessoa, animal, máquina, o que quiser! Pode num momento estar a atuar como uma representação pictográfica digital daquilo a que você imagina o que deveria ser e noutro como um robot, um monstro, um animal, o King Kong ou um vampiro, porque não? E como eles estão na moda em todos os lados, a SL está cheia deles. Mas os vampiros são uma espécie estranha. Presumivelmente assustador, deveria sê-lo, só pelo fato de ser vampiro e fazer aquilo o que nós esperamos que um vampiro faça, segundo a tradição literária desta coisa: deveria nos assustar por se alimentar daquilo o que temos de mais “sagrado” em nosso corpo, que é o nosso sangue. Mas acho-os estranhos porque nos alimentamos também de sangue, com exceção dos vegetarianos, e não assustamos ninguém por isto. Conheço um gajo que adora frango ao molho pardo e ele não me provoca o menor medo! :) Na SL é mais estranho ainda. É que para além de avatar não ter sangue, para que o dito assustador vampiro entre em ação nós temos que aceitar e autorizar que ele o faça! Daí os vampiros virtuais terem que nos dar uma animação de vitima e, por ser animação, ela primeiramente pergunta-nos se queremos animar nosso avatar e daí... créu! Seríamos mordidos por um monstro virtual, mas que pede licença para atacar. É parvo é! E só pega aqueles que, ou estão desatentos, ou não sabem o que acontecerá. E aqui fica a moral da história: se não foi algo que você solicitou, nunca aceite nada na SL. Nem pedidos de amizade de pessoas que nunca viu na vida, normalmente são para te enviarem spam com convites de teleportes para eventos que você não quer ir, nem pedidos de movimentar teu dinheiro (este principalmente) e nem de animar o teu avatar. Estes pedidos surgem em menus do lado direito da tela, azuis para amizade e animações, amarelo para pedido de movimentação de dinheiro, e sempre te perguntam se aceita ou não. Se for de alguém que não conheça e você não o tenha solicitado ou previamente aceitado numa conversa, simplesmente clique no botão para negar aquilo. Se nos filmes fosse assim, as donzelas ingênuas nunca seriam comidas, (oops, quero dizer mordidas) pelos vampiros malignos. Monstros há muitos e de diversos tipos. Mas sempre, na SL, eles tem que ter o teu consentimento para te atacar. Foi o que aconteceu com a pobre da Patinha Babii, na foto com uma pessoa com um avatar de King Kong. Mas ela, que não é parva, aceitou o “sacrifício” só para tirar estas fotos.